terça-feira, outubro 18, 2005

PETRALHAS E TUCANOS MAIS UNIDOS DO QUE NUNCA:

Tese de afinidade entre PT e PSDB gera conflito

FOLHA DE LONDRINA:
Curitiba - Depois de ventilada pelo presidente da Assembléia Legislativa, Hermas Brandão (PSDB), a possibilidade de aliança entre PMDB e PSDB no Estado para desespero de muitos tucanos e peemedebistas paranaenses , agora é a vez do PT promover um estardalhaço. O ex-tucano e atual vice-líder do governo na Câmara Federal, Sigmaringa Seixas (PT-DF), defende e não é de hoje a aproximação de petistas e tucanos em torno de um projeto de poder. Apesar de o PSDB fazer oposição ao governo Lula (PT), Seixas vê semelhanças cada vez mais aparentes entre as ideologias do PT e do PSDB mesmo as cartilhas dessas duas legendas sendo diametralmente opostas, pelo menos em tese.

O PSDB, nascido de dissidentes do PMDB, segue hoje uma linha neoliberal, enquanto o berço do PT foi o socialismo. Atualmente, porém, não há como negar que o PT está bem menos socialista e mais neoliberal. Na opinião do deputado do Distrito Federal, existem claras afinidades entre as duas siglas. Seixas, que tem bom trânsito junto ao presidente, acredita que uma aproximação entre os dois partidos seria o caminho para tirar do papel as reformas necessárias ao País.

A opinião de Seixas não agrada em nada às correntes de esquerda do PT. ''Acho um absurdo. Esse debate nunca de se deu dentro do partido'', protestou o paranaense Doutor Rosinha (PT). Na opinião dele, essa afinidade só existiria isoladamente, entre alguns líderes do Campo Majoritário, tendência que detém o controle do partido. O senador Alvaro Dias, um dos caciques do PSDB no Paraná, também torce o nariz para a tese do vice-líder governista. ''Não vejo viabilidade agora para isso. Até porque ninguém sabe qual será o futuro do PT'', ponderou Alvaro. Na opinião do senador, casa sigla tem sua proposta de governo e o cenário político atual é desfavorável a uma eventual aproximação dessa natureza.