sábado, outubro 29, 2005

OPOSIÇÃO CITA FORO DE SÃO PAULO E IMPEACHMENT

TCU: houve desvio de R$ 94 mi no BB por agências de Valério

"Uma no TCU, descobriu que a DNA Propaganda, de Marcos Valério, e mais quatro agências de publicidade desviaram R$ 94,2 milhões do Banco do Brasil do ano 2000 até agora. No relatório, em poder da CPI dos Correios, os técnicos do tribunal exigem que as agências DNA, Lowe, Grottera, Ogilvy e D+ devolvam o dinheiro. Os recursos correspondem a bonificações de volume, descontos especias que as empresas recebiam dos fornecedores mas não repassavam ao Banco do Brasil como exigiam os contratos de prestação de serviços. Os técnicos do TCU também cobram explicações dos diretores de marketing do banco. Segundo o tribunal, eles eram obrigados a cobrar o repasse dos descontos, mas teriam feito vista grossa para as falhas das agências. A CPI dos Correios, que investiga os repasses de Valério a parlamentares da base governista, também quer aprofundar as investigações sobre as relações das agências de publicidade com o BB. Na próxima semana, a CPI pedirá que as cinco agências apresentem todas as notas fiscais relativas aos bônus de volume (BVs). A idéia é fazer uma rechecagem do relatório do TCU com a contabilidade das próprias agências."



Oposição busca saída para não instalar CPI do Caixa Dois

"A CPI do Caixa Dois,, não deve ser instalada. A saída discutida por líderes partidários no Senado é criar uma sub-relatoria na CPI do Mensalão. Assim ela não ganharia tanto destaque e, ao mesmo tempo, os parlamentares não seriam acusados de conduzir uma operação-abafa. O requerimento para a criação da comissão foi protocolado anteontem pelo líder do PSDB, Arthur Virgílio. A proposta seria investigar a existência de caixa dois nas campanhas eleitorais realizadas entre 1998 e 2004. A avaliação da oposição é que a criação da CPI foi um gesto impensado. A intenção de Virgílio era reagir às denúncias de irregularidades no financiamento de campanha do senador Eduardo Azeredo), que o levaram a sair da presidência da sigla. O líder tucano agiu politicamente, mas depois foi acusado de estar blefando e não teve outra saída senão protocolar o requerimento, que teve 37 assinaturas, dez a mais do que o necessário. Entre os que subscreveram o documento estão dois petistas: Ana Júlia Carepa e Paulo Paim - e Azeredo. Para parlamentares da oposição, a atitude do líder tucano foi 'suicídio'. Isso porque o caixa dois do PT já está sendo vasculhado pelas CPIs em funcionamento. A nova comissão só serviria para investigar o financiamento das campanhas do PSDB e do PFL."




Serra: se tudo for levado ao pé da letra, PT não sobrevive

"O prefeito de São Paulo, José Serra, foi seco ontem ao responder sobre as acusações de uso de caixa 2 contra o senador tucano Eduardo Azeredo,. 'Se a questão é escândalo, então, se fôssemos levar tudo o que foi dito no confronto de Marcos Valérios e Delúbio Soares ontem (anteontem, na acareação na CPI do Mensalão) ao pé da letra, teríamos de cassar praticamente todo o PT.' Em visita à zona leste, ele também rebateu críticas do PT ao governo FHC: 'É verdade, eles estão fazendo coisas que não fizemos, como por exemplo a corrupção nos Correios, no Banco do Brasil e o mensalão.' No programa eleitoral transmitido anteontem, o PT acusou o ex-presidente Fernando Henrique de quebrar o País e abafar casos de corrupção. Também pediu a cassação de Azeredo e do deputado Custódio de Mattos (MG), acusados de usar caixa 2 em campanhas eleitorais. Serra também não quis comentar a declaração da deputada Zulaiê Cobra, que disse que o PSDB deveria pedir o impeachment do presidente Lula. 'Foi uma colocação política que no meu ver tem de ser avaliada pela executiva que vai entrar. É mais adequado', limitou-se a dizer."


Goldman: denúncia ameaça todas as candidaturas petistas

O líder do PSDB na Câmara, deputado Alberto Goldman, disse que as denúncias publicadas pela Veja exigem uma investigação cuidadosa. "A denúncia é muito grave e precisa ser investigada imediatamente pelo Ministério Público para que não se cometam leviandades e injustiças. Mas a lei é muito clara na proibição de os partidos receberem dinheiro do exterior. Se houve este fato, pode levar ao cancelamento do registro do PT, o que inviabiliza a candidaturas de todos os filiados do partido", avaliou o tucano, lembrando que, entre os impedidos, estaria o próprio presidente Lula, pois não há mais prazo para ingressar em outro partido.



ACM Neto diz que é hora de oposição avaliar o impeachment

O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto , disse que está na hora de a oposição reavaliar sua posição em relação à possibilidade de pedir o impeachment do presidente Lula. " A oposição errou feio lá atrás quando proibiu que se falasse em impeachment. É preciso acabar com este veto", afirmou. Segundo ACM Neto, porém, é preciso avaliar tudo com rigor. "Pode ser que se conclua que não é o caso de impeachment, mas temos de analisar. A denúncia reforça a tese de que a campanha do PT foi viciada. O mandado do presidente Lula é viciado", disse. O pefelista acrescentou que sempre tinha ouvido falar sobre recursos vindos do exterior para a campanha presidencial do PT, mas jamais soubera de testemunhas e muito menos provas. Para ele, os petistas não contaram apenas com ajuda apenas dos cubanos: "Não acho que tenha vindo dinheiro só de Cuba, mas também da Venezuela".



Álvaro Dias afirma que mandato de Lula "está contaminado"

O senador tucano Álvaro Dias, disse que já recebeu denúncias de que o grupo narcoguerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) enviou dinheiro para as campanhas do PT. "Há suspeitas de uma conexão internacional à esquerda. Existem indícios, mas as provas são difíceis", disse o senador tucano. O PT participa, juntamente com o presidente cubano, Fidel Castro, e as Farc, do Fórum de São Paulo, organização criada há cerca de dez anos para regorganizar os movimentos de esquerda em todo o mundo. Para o tucano, se realmente recebeu o dinheiro de Cuba, e eleição de Lula pode ser invalidada. "O mandato do presidente Lula está contaminado por corrupção eleitoral confessada e agora com a vinda de dinheiro de fora para a campanha. Além de os partidos serem proibidos de receber dinheiro de outros países, mesmo que legal, é evidente que este dinheiro é sujo, porque chegou ilegalmente ao Brasil. Além disso, é claro que é dinheiro público, em Cuba não há dinheiro privado. Se veio de Cuba, a origem não pode ser boa", afirmou Dias. Para ele, no entanto, a ausência de provas documentais vai permitir que o governo rechace as novas denúncias. "O governo é expert em abafar, tudo vai ser desmentido mais uma vez e, neste caso, as provas são realmente difíceis de serem obtidas", avaliou.



Virgílio quer que MP investigue contas de campanha de Lula

Em seu blog, o jornalista Josias de Souza afirma que, ainda de madrugada, informa que o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, disse que tucanos e pefelistas vão se unir para encaminhar uma representação ao Ministério Público Federal para que investigue as contas de campanha do presidente Lula. "“Lula torna-se agora um inelegível virtual. Não é possível que seja reeleito pelo voto. Tentaremos transformá-lo num inelegível legal. Veremos o que vai acontecer", afirmou o senador, para quem os episódios relatados pela Veja "serão incorporados às investigações das CPIs dos Correios e dos Bingos". Na sua avaliação, as denúncias caracterizam "lavagem de dinheiro, um crime sério". O senador disse ainda que conhece “muito bem” o ex-diplomata cubano Sérgio Cervantes, apontado pela revista como intermediário das remessas de dinheiro para o PT. "No tempo em que militávamos contra a ditadura, estive várias vezes com o Cervantes. Ele era interlocutor freqüente de Cuba com a esquerda brasileira. Ninguém melhor do que o Cervantes para atuar numa operação como essas. Se o assunto é dinheiro, ninguém mais credenciado do que o Cervantes”, contou Virgílio.
Pefelista diz que Marinho não pode continuar a ser ministro

O líder do PFL na Câmara, deputado Rodrigo Maia (RJ), divulgou neste sábado uma nota em que pede a demissão imediata do ministro do Trabalho, Luiz Marinho, alegando que o ex-sindicalista já não reúne as condições políticas necessárias para manter-se no cargo. Segundo o deputado, a informação de que "o sr. Klaus-Joachim Gebauer, ex-funcionário da Volkswagen, confirmou que a viagem de Luiz Marinho em 2001 à Alemanha, com o suposto objetivo de defender os interesses de trabalhadores brasileiros, foi, na verdade, embalada por festas, orgias e noitadas, sob o patrocínio da própria empresa" desqualifica Marinho para o cargo. Para o pefelista, a conduta inadaqueda do ministro foi reforçada nesta semana, quando ele falou do senador Jorge Bornhausen, presidente do PFL, como um saudoso do nazimo. Ao pretender aliar a imagem de um homem público íntegro [Bornhausen] — com irretocável histórico de serviços prestados ao país — ao odioso regime totalitário praticado na Alemanha na primeira metade do século passado, [Marinho] mostrou-se sem o equilíbrio político que o alto posto que exerce requer", avaliou Maia, lembrando que, logo depois da associação feita pelo ministro, Brasília amanheceu coalhada de cartazes que traziam a imagem do senador do PFL vestido de nazista. A montagem, revelou depois a polícia, havia sido encomandada por um diretor o Sindicato dos Profissionais em Processamento de Dados (SINDPP), entidade filiada à Central Única dos Trabalhadores (CUT), que Marinho presidiu.



Jungmann: PPS entra com representação no Ministério Público contra Lula e PT por causa de dinheiro cubano em campanha;
deputado quer CPIs unidas para ouvir ex-auxiliares de Palocci

O deputado Raul Jungmann , primeiro vice-líder do PPS na Câmara, informa que a Executiva do partido, reunida, neste sábado, em Cuiabá, decidiu entrar com representações no Ministério Público Federal e no Ministério Público Federal Eleitoral, que atua junto ao TSE. O PPS pede, nas duas instâncias, a abertura de investigação contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também contra o PT. O motivo é a reportagem da revista Veja desta semana que evidencia que o partido recebeu recursos de Cuba . O artigo 350 do Código Eleitoral diz que o candidato é o responsável pela prestação de contas do partido. Logo, a famosa desculpa “eu não sabia” não cola. E, por isso, um dos pedidos de investigação tem Lula como alvo. No caso do PT, a questão é ainda mais séria e mais ampla: é expressamente proibido o recebimento de doações do exterior, o primeiro e mais importante motivo que pode resultar na cassação do registro do partido. Jungmann vai propor ainda uma reunião conjunta das CPIs dos Correios, do Mensalão e dos Bingos para ouvir Rogério Buratti e Vladimir Poleto, os dois ex-auxiliares do ministro Antonio Palocci , que confirmam a existência da operação.


Dinheiro de Cuba para Lula vai para a 1ª página d'O Estado

A reportagem da revista Veja sobre os US$ 3 milhões enviados pelo presidente de Cuba, Fidel Castro, ao Brasil para ajudar a eleger Lula presidente da República é a manchete d'O Estado deste domingo. A reação da oposição ao mais novo escândalo da gestão petista também ganhou as páginas do jornal. O prefeito de São Paulo, José Serra, que reassumiu a presidência do PSDB, afirmou que o envio de dinheiro cubano para a campanha de Lula em 2002 "parece verossímil". O prefeito disse que não surpreenderia com "notícias de que o PT tenha recebido esse tipo de ajuda" e que tudo precisa ser investigado. "Agora que a história tem nomes, descrição etc., tem de ser investigada", disse Serra, que não poupou o PT de críticas. "O que se vê é abuso atrás de abuso. Não fico contente com nada disso. É ruim", declarou. "Em seu entender", informa o jornal, "a partir da reportagem é indispensável que os responsáveis pelas comissões parlamentares de inquérito, em Brasília convoquem as pessoas que deram informações à revista. 'O Ministério Público também está aí para isso'." O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por sua vez, disse que, se a denúncia de Veja for comprovada, "exigirá punições severas".


Tasso acusa Lula de assalto ao Estado e fala em impeachment

O Estado deste domingo, o senador tucano Tasso Jereissati mostra que se prepara para assumir a presidência do PSDB no dia 18 de novembro sem constrangimento de defender o impeachment do presidente Lula. A seguir, os principais pontos da entrevista:
Prioridade: "Assim que a gente assumir, temos de começar a discutir uma proposta para o país, porque o PT não tem."
Guerra PT x oposição: "Quando Lula se recolheu por causa das denúncias, a oposição mostrou muito equilíbrio. Por causa disso, todos nós esperávamos uma atitude de conciliação do governo. Não foi para fazer pizza que nos comportamos assim. Queríamos uma autocrítica, mudanças profundas e um chamamento a um novo momento".
Eleição de 2006: "Esse é o problema do PT e do governo. Eles só pensam em eleição. É preciso pensar na crise, em governar o país. Só estamos conseguindo surfar este vendaval porque estamos vivendo um momento mundial fantástico".
Azeredo: "O que existe é uma declaração de Valério de que foi ao Banco Rural pegar um empréstimo para financiar a campanha de Azeredo. Por isso chamaram o tesoureiro da campanha.Azeredo não pode ser crucificado por uma eleição que perdeu".
Impeachment: "Defendo que esse caso seja levado a termos jurídicos. Marcos Valério e Delúbio confirmaram o caixa 2 da campanha de Lula, e o que parecia óbvio para nós tornou-se público e explícito" e "Lá atrás houve a avaliação de que não havia clima [para o impeachment]. Mas apareceu mais coisa de lá para cá e, se continuar..."
Caixa 3 do PT: "O PT tentou passar a idéia de que todo roubo valia porque era caixa 2. Era uma coisa que todo mundo fazia e, por isto, era perdoável. Apelidou-se de caixa 2 o crime eleitoral de recursos de campanha não contabilizados. Mas o próprio tesoureiro do PT no Ceará declarou que não recebeu para a campanha".
Esquema inédito petista: "Montaram um esquema de assalto ao Estado. Desde 1º de janeiro de 2003 até estourar o escândalo do IRB, dos Correios, que todos os organismos do governo federal assaltavam os cofres públicos. Tiraram e desviaram dinheiro por meio de concorrências fraudadas, tráfico de influência, serviços pagos e não realizados, achaques".

1 Comments:

Anonymous Augusto said...

O mais "legal" dessa história toda é que se o Lula for destituido do cargo de presidente assume o José Alencar que é filiado do recem fundado partido da IGREJA UNIVERSAL DO REINO (DA ROUBALHEIRA) DE DEUS (USANDO O NOME DE DEUS), você já imaginou o Brasil com um presidente amiguinho do Edir Macedo? E se o José Alencar não assumir quem fica com o cargo de presidente é o comunista do PC do B que é presidente do congresso. Estamos fudidos e mal pagos ou o quê?

8:45 PM  

Postar um comentário

<< Home