sexta-feira, outubro 28, 2005

NOTÍCIAS DO DIA:

NOTÍCIAS DO DIA:

Governo abandonou Dirceu para fugir da crise, diz oposição

Para os aliados, a derrota do deputado José Dirceu ontem no Conselho de Ética e anteontem na Comissão de Constituição e Justiça é reflexo do sentimento de condenação prévia generalizada na Casa. Para a oposição, um sinal de que o governo abandonou o ex-aliado para tentar se livrar da crise. Embora haja uma tendência de cassação na votação do plenário da Casa, onde o voto será secreto, o resultado não deverá ser avassalador como nas votações em que os deputados têm de expor seu voto. Para o líder do PFL, Rodrigo Maia , a derrota de Dirceu é um sinal de que, de fato, não houve ação do governo. Há vontade do Planalto de distanciar-se de Dirceu. Não querem assumir a realidade. A votação aberta, no caso de Dirceu, pesa contra. Mas no plenário, com voto secreto, não acredito em resultado tão elástico.
O tucano Gustavo Fruet disse que a derrota sofrida por Dirceu no Supremo, anteriormente, e na própria CCJ minaram suas chances. (...) Outro ponto que pesou contra Dirceu, na opinião do tucano, foi o abandono dos petistas e do governo:
— Até hoje, pelo que vi, só o deputado Nilson Mourão (PT-AC) subiu à tribuna para defender Dirceu."


Severino vai ao Congresso para dar apoio a cassáveis

"O ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti,, que renunciou ao mandato depois de ser acusado de receber dinheiro do dono de um restaurante da Câmara, foi ao Congresso ontem defender os deputados que poderão perder o mandato por envolvimento no escândalo do mensalão. Ele avisou que estava iniciando uma peregrinação em defesa dos deputados. Para Severino, os ex-colegas são acusados injustamente de ter recebido mensalão.
— Não acredito em mensalão. Não existia isso. Quero justiça, não quero outra coisa. Vou ajudar, vou pedir voto para todo mundo, inclusive para o Zé Dirceu — disse Severino, confirmando que teve encontro com o petista num hotel de Brasília há duas semanas. Severino disse acreditar que ainda tem grande influência na Câmara (...) e que vai voltar consagrado das urnas de Pernambuco."



Saídas para o país são ‘ou Serra ou o boeing’, diz Jaguaribe

"'Ou Serra ou o boeing'. Essas são as escolhas do cientista político Hélio Jaguaribe para a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de 2006. Falando a jornalistas antes de sua palestra no 29 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), Jaguaribe se disse contra o modelo econômico neoliberal — o que o fez votar em Lula duas vezes, apesar de ter fundado o PSDB e integrado a direção do partido — e a favor de que o prefeito de São Paulo, José Serra, seja candidato a presidente propondo uma política econômica desenvolvimentista. Se Lula for reeleito, a solução é tomar um avião e ir para a Argentina, brincou Jaguaribe. Devido à política econômica do governo, ele acha que o presidente não pode desejar ser comparado a Juscelino Kubitschek.
— (A comparação) É muito boa para dizer que ele (Lula) é o oposto. É um bom contraste. — disse Jaguaribe."
Na Folha: "O sociólogo Helio Jaguaribe, 82, defendeu ontem o abandono gradual da política econômica praticada pelo governo, alertou para o risco de perda da autonomia nacional (...) disse que, se o país crescer a taxas inferiores a 6% nos próximos 20 anos, corre o risco de se transformar em uma 'província do império americano'. (...) O abandono do atual modelo econômico, porém, não pode ser feito de maneira brusca, disse ele. Para Jaguaribe, Serra teria competência para efetuar a transição."


Comitê de Direitos Humanos da ONU volta a criticar o Brasil

"A política de direitos humanos do governo Lula sofreu ontem duras cobranças do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que encerrou dois dias de sabatina, em Genebra. Os peritos insistiram numa explicação do governo brasileiro sobre a proposta de corte de 50% do orçamento da Secretaria Especial de Direitos Humanos. Cobraram também informações sobre o número de meninos de rua no país e queixaram-se da prática de julgar policiais militares envolvidos em violações de direitos humanos nos tribunais militares. Os PMs deveriam, segundo eles, estar sendo julgados por um órgão menos corporativista e mais independente. Os peritos se frustraram com o discurso do secretário especial de Direitos Humanos, Mario Mamede, e de sua equipe de 17 pessoas, que culparam os estados pelas falhas. A mais dura crítica partiu da perita americana Ruth Wedgewood: 'O governo parece impotente diante da situação de direitos humanos nos estados', queixou-se."



Para promotores que investigam Sto. André, Carvalho mente

"Os promotores de Justiça que investigam o esquema de corrupção na gestão Celso Daniel - prefeito do PT em Santo André eliminado à bala em janeiro de 2002 -, acusaram ontem Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Lula, de 'mentiroso'. Segundo os promotores, Carvalho 'mente claramente' quando nega envolvimento no esquema de financiamento de campanha do PT com recursos de propina. 'Ele tem essa prerrogativa constitucional de mentir', insurgiu-se o promotor Amaro Thomé Filho, que integra força-tarefa do Ministério Público Estadual para esmiuçar contratos superfaturados e desvio de verbas públicas na gestão Celso Daniel. Os promotores também deverão depor à CPI dos Bingos, onde na quarta-feira ocorreu a acareação entre Carvalho e os irmãos João Francisco e Bruno Daniel.Os promotores planejam entregar à CPI cópia do depoimento de Carvalho, prestado em 10 de junho, no qual o assessor de Lula admitiu ter entregue a Daniel envelope com dossiê de 80 páginas apontando aumento de patrimônio de empresários supostamente favorecidos. Gilberto é suspeito da prática de crime de receptação do dinheiro oriundo da propina de Santo André', reafirmou Thomé. 'Ele é co-autor do José Dirceu nesse caso. É claro que sabia da corrupção.'"



Tasso repreende presidente da CEF e o chama de 'malandro'

"O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) repreendeu duramente ontem o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso, na CPI dos Bingos. Chamou Mattoso de 'malandro', por considerar que ele respondeu de forma debochada a uma pergunta sobre a qualificação dos servidores que negociaram com a multinacional Gtech a renovação do contrato para operação das loterias. A renovação foi negociada pelo ex-vice-presidente Paulo Bretas e pelo assessor da presidência Carlos Silveira. 'Tinham experiência na área financeira, no setor de jogos?', perguntou Tasso. Mattoso desconversou, alegando que iria mandar o currículo deles para o senador. 'Imagino que eles jogavam, sim', completou, como se não tivesse entendido a indagação. 'Eram jogadores de cassino?', questionou Tasso. Mattoso respondeu: 'Não, imagino que jogavam nas loterias como todo mundo.' O senador retrucou: 'O senhor vai me responder com respeito, perguntei se tinham alguma experiência porque fizeram os piores negócios para a Caixa. Achei que era inexperiência deles e do senhor, mas pela maneira como vossa senhoria está me respondendo, está me parecendo uma maneira de malandro.' (...) Mattoso respondeu então que os dois assessores são economistas. 'Foi um trabalho extraordinário, foi o melhor negócio.' Tasso retrucou: 'Sim, foi o melhor do mundo para Gtech, tanto que obteve o maior lucro de sua história, graças ao negócio feito no Brasil.'"


Canteiros de D. Marisa perduram nos palácios oficiais

"Nos jardins do Palácio da Alvorada e da Granja do Torto, a estrela do PT continua muito viva. Os canteiros de sálvias vermelhas, idealizados pela primeira-dama Marisa Letícia, resistiram à crise política - que derrubou a cúpula do partido e fez estragos no Planalto e no Congresso - e à ampla reforma das residências oficiais da Presidência. Há um ano Marisa e Lula se mudaram para a Granja do Torto, a 18 quilômetros do centro de Brasília. Desde essa época, o Alvorada passa por uma reforma supervisionada pelo Instituto do Patrimônio Artístico Nacional (Iphan). Para receber o casal, a Granja também sofreu mudanças. A estrela de cinco metros de diâmetro, por exemplo, foi 'plantada' perto da área de esportes. Já no Alvorada, o canteiro, de quatro metros, fica no caminho da piscina. Os jardineiros da Novacap, órgão do governo do Distrito Federal responsável pelas áreas verdes da capital, não se arriscaram a remover os canteiros da primeira-dama - criticados duramente pela oposição. A conclusão da reforma do Alvorada estava prevista para o fim deste mês, mas no Planalto ninguém se arrisca a dizer quando o casal voltará. A obra de melhorias e reparos da primeira construção de Brasília, edificada há 47 anos, resultou na troca de quase tudo. Um consórcio de 22 empresas ligadas à Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib) custeou a obra, estimada em R$ 16 milhões."



Renan negocia concessões para desanuviar crise no Senado

"Em pouco mais de 24 horas, o presidente do Senado, Renan Calheiros, esteve duas vezes no Palácio do Planalto. Na primeira, conversou a sós com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na tarde de quarta-feira. No fim da tarde de ontem, reuniu com Lula e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Renan teme que a crise contamine o Senado e acredita que só a solução de algumas 'pendências' na área econômica possa desanuviar o clima político e evitar que o governo venha a sofrer derrotas, nas próximas semanas, e até mesmo a instalação de uma quinta CPI - a do Caixa 2, protocolada também ontem pelo PSDB. Todas as 'pendências' significam mais gastos. A agenda de Renan tem pelo menos cinco itens:
1 - A retirada da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que o governo moveu no Supremo Tribunal Federal para derrubar lei que determina um aumento de 15% nos salários dos servidores do Senado, Câmara e Tribunal de Contas da União, uma conta estimada em R$ 563,4 milhões, em 2006.
2 - O pagamento de R$ 900 milhões prometidos aos Estados exportadores a título de compensação prevista na Lei Kandir.
3 - O compromisso do presidente em não vetar as isenções e benefícios incluídos pelo Congresso na "MP do Bem".
4 - Não vetar o item que permite aos municípios renegociar


Valério e Delúbio trocam silêncio por ajuda do Planalto

"O publicitário Marcos Valério e o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares estão chantageando o governo e o PT. Enviaram recados pedindo dinheiro para não revelar supostos fatos novos que levariam a crise política a se agravar novamente no aspecto investigativo. No político, já anda alta a temperatura entre PT e PSDB devido às eleições de 2006. Segundo a Folha apurou nas cúpulas do governo e do PT, Valério reclama que seja honrada pelo menos parte dos empréstimos que diz ter feito a Delúbio e que são confirmados pelo ex-tesoureiro do partido. (...) Já Delúbio exigiu e obteve da nova direção do partido o compromisso de que seu advogado e o de Silvio Pereira, ex-secretário-geral do PT, sejam pagos pelo partido. Delúbio pediu ainda ajuda financeira para sobreviver no médio prazo. Diz que ficará sem dinheiro para pagar contas e que sua família não é rica. Delúbio tem um interlocutor de confiança para transmitir seus recados ao governo e ao PT: o ex-presidente do partido José Genoino. Visto pela cúpula do governo e do PT como uma espécie de 'menos culpado e maior prejudicado' no episódio do 'mensalão', Genoino recebeu a missão de servir de interlocutor entre o partido e a dupla Delúbio e Silvio Pereira. (...) É Genoino quem conversa com os dois e tenta manter as suas bocas fechadas."


Irritado, Berzoini diz que não dá satisfação sobre cartaz

"Em mais um lance da disputa entre governo e oposição, o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), afirmou ontem que o PFL representa o conservadorismo associado a cartazes de 'procura-se' e à tortura praticada durante a ditadura militar. Por isso, segundo ele, o PT não dará satisfação sobre a fotomontagem espalhada por pontos de Brasília em que o presidente do PFL, Jorge Bornhausen, é retratado como ditador nazista. Berzoini disse ainda que o PT nunca teve em seus quadros 'traficantes e assassinos' — e citou o deputado cassado Hildelbrando Pascoal — e 'pessoas que promoveram esquema de grampo ilegal', em referência ao senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). (...) Um militante petista assumiu a autoria dos cartazes, mas o PT diz que foi uma ação isolada. 'O novo presidente do PT começa mal. Mostra despreparo, desespero e falta de educação política', rebateu Bornhausen, que defendeu ACM, acusado em 2003 de ter grampeado adversários. Bornhausen ainda levantou a suspeita de que o ministro Luiz Marinho (Trabalho) seria o mentor intelectual do ato. (...) Pela manhã, em entrevista coletiva, Bornhausen utilizou termos como 'quadrilha' e 'farsa criminosa' para se referir ao episódio."

Petistas manipularam dados mostrados no programa eleitoral

O jornal Folha de S.Paulo, na edição desta sexta-feira, comenta o programa político do PT, exibido na quinta, e diz que os números utilizados para criticar a administração de Fernando Henrique Cardoso (FHC) foram manipulados. “Ao mostrar números no programa, os petistas recorreram a conveniências nas comparações. Ao falar sobre crescimento econômico, por exemplo, foi comparada a média alcançada pelo governo tucano (2,2% em oito anos) com o melhor ano do governo Lula até agora (5%, no ano passado). Já ao contrapor índices de inflação, o programa utilizou o número de 2002, último ano do governo FHC, e o índice do ano passado, com Lula: 12% contra 7,5%. Primeiro desde o início da crise política, o programa não foi assinado, como de costume, pelo publicitário Duda Mendonça, que teve relações rompidas com o PT após revelar ter recebido dinheiro do esquema de Marcos Valério”.


Liminar do STF devolve cargo de senador a Capiberibe

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar determinando o retorno ao cargo do ex-senador João Capiberibe (PSB-AP). Acusado de compra de votos, o parlamentar teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em abril do ano passado. Na última terça-feira, Capiberibe foi afastado por ato do presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). No dia seguinte, o senador Gilvan Borges (PMDB-AP), segundo mais votado no Amapá, tomou posse no lugar de Capiberibe. Na decisão, Marco Aurélio diz que “as discussões travadas no Senado Federal revelam o afastamento do impetrante (Capiberibe) sem que observados os ditames constitucionais, sem que observada a Lei Fundamental da República, que a todos, indistintamente, submete, considerado o devido processo legal.” A liminar suspende o ato de Renan e devolve o cargo a Capiberibe. “Com isso, restabeleço a situação jurídica anterior, viabilizando ao impetrante, ainda na qualidade de senador da República, o exercício do direito de defesa”, afirmou Marco Aurélio na decisão.

Agripino afirma no plenário que Berzoini deveria “dobrar
a língua antes de falar do senador Jorge Bornhausen”

Em discurso no plenário do Senado, nesta sexta-feira, o líder do PFL, senador Agripino Maia (RN), comentou a atitude de um sindicalista do PT, que espalhou em Brasília cartazes retratando o presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), como nazista. Para Agripino, o PT deveria ter postura mais rigorosa diante dos erros de seus filiados. O senador usou o discurso para atacar o presidente do PT, Ricardo Berzoini, e defender Bornhausen e o PFL. Na tribuna, Agripino disse que Berzoini “deveria dobrar a língua antes de falar do senador Jorge Bornhausen”. Na quinta-feira, ao comentar o episódio dos cartazes, Berzoini, em vez de ressaltar que se tratava de uma iniciativa isolada e reprovar o gesto, disse que o PT nunca teve em seus quadros “traficantes e assassinos” e “pessoas que promoveram esquema de grampo ilegal”, numa referência ao senador Antonio Carlos Magalhães (BA). Berzoini ainda declarou que o PFL representa o conservadorismo associado a cartazes de “procura-se” e à tortura praticada durante a ditadura militar. Ao defender o senador Antonio Carlos, Maia disse que “o senador nunca deixou velhinhos esperando em filas”, numa alusão à decisão de Berzoini, enquanto ministro da Previdência, de fazer o recadastramento dos idosos. A partir desse episódio o PFL instituiu o Troféu Berzoini de Crueldade, que é distribuído trimestralmente aos integrantes do governo que se destacaram pelas falhas.

Falta quórum, e trabalho da Comissão de Ética atrasa de novo

Apenas 20 deputados compareceram nesta sexta-feira na Câmara, e com isso a sessão não será computada no prazo de tramitação de processos contra 11 parlamentares acusados de envolvimento no mensalão, que ganham tempo para apresentar suas defesas. Para que valesse, teria de ter reunido pelo menos 50 deputados. O processo contra Romeu Queiroz (PTB-MG) por quebra de decoro parlamentar, por exemplo, só deverá ser votado na semana depois do feriado de Finados, e não mais na próxima segunda-feira, como previsto. O presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), disse, porém, que o atraso vai interfere no processo contra José Dirceu (PT-SP), já que continua na pauta de segunda-feira a leitura do novo texto do relator do caso, Julio Delgado (PSB-MG).


PT debate “ofensiva” contra tucanos e cassação de Azeredo

Na primeira reunião de sua nova Executiva, nesta sexta, em São Paulo, o PT debate o que chama de “ofensiva política” contra tucanos e a oportunidade de entrar no Senado com representação contra o ex-presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo (MG). A idéia é que ele seja cassado e passe a ser o símbolo de que a oposição ao governo Lula também bebeu nas águas do valerioduto. O 3º vice-presidente do PT, Jilmar Tatto, é dos mais aguerridos nessa tal ofensiva. Segundo a entrevista que concedeu ao site do PT, “não tem o menor sentido o PT não fazer isso se o próprio Azeredo renunciou à presidência nacional do PSDB por envolvimento com o esquema de Marcos Valério”. O secretário nacional de Comunicação do PT, Humberto Costa, também falou da disputa com tucanos. “Vamos mostrar que somos melhores no governo do que eles, que temos resultados melhores; mostrar que nós herdamos dos tucanos um Brasil desgastado e sem prestígio internacional, vivendo uma enorme crise econômica”, disse.

PFL estuda entrar no Ministério Público com denúncia-crime
contra Lula; assessoria do partido já prepara peça jurídica

O líder do PFL no Senado, José Agripino (RN), afirmou nesta sexta que vai consultar a direção do seu partido, que se reúne na próxima semana — caso não haja um adiamento por causa do feriado —, sobre a oportunidade de ingressar no Ministério Público com queixa-crime contra o presidente Lula. A idéia é que se apure se a campanha presidencial de 2002 usou recursos ilegais, provenientes de caixa-dois. A idéia de Agripino, na verdade, está mais adiantada do que ele faz supor ao falar em “consulta” ao partido. Isso porque a assessoria do PFL já está, na verdade, preparando a peça jurídica para apelar ao Ministério Público. Na acareação da última quinta-feira promovida pela CPI do Mensalão, o presidente do PL, Valdemar da Costa Neto (SP), confirmou que recebeu R$ 6,5 milhões do empresário Marcos Valério e pagou dívidas de campanha de Lula com o dinheiro. “A legislação protege o presidente da República? Claro que não. Se verdadeira a declaração de Costa Neto, Lula praticou crime eleitoral”, disse.


Rainha e líderes do MST são condenados a 10 anos de prisão

O juiz Maurício Ferreira Fontes, da cidade de Teodoro Sampaio, no Pontal do Paranapanema, condenou a 10 anos de prisão em regime fechado o líder do MST José Rainha Junior e outros três companheiros dele. Rainha está foragido. A sentença foi proferida na noite de quinta-feira. Os quatro foram condenados pela invasão, seguida de incêndio na sede, da Fazenda Santa de Alcidia, há cinco anos. A Justiça considerou que houve ainda crime de furto qualificado e formação de quadrilha. Além de Rainha, estão foragidos Manoel Messias Duda e Sérgio Pantaleão. Cledson Mendes da Silva foi preso logo depois de conhecida a sentença.

2 Comments:

Blogger Star said...

Oi Bloody querida,

Carrasco disse que esta sem tempo, vai cuidar só do Jornal da Poesia, o jeito é respeitar a decisão dele.
Espero que ele reveja sua posição.

Beijo

8:56 PM  
Blogger Jacaré Doido said...

De que adianta apoio de Severino Mensalinho Cavalcante? Esse apoio pode ser um tiro no pé!

9:28 PM  

Postar um comentário

<< Home