terça-feira, outubro 18, 2005

DESTAQUES DO O GLOBO DE HOJE:

Dirceu contraria Lula e convence deputados a não renunciar

"A atuação de José Dirceu influenciou na decisão dos seus colegas petistas João Paulo Cunha Professor Luizinho, José Mentor e Josias Gomes de desistir de renunciar aos seus mandatos. Os quatro deputados chegaram a analisar seriamente a possibilidade de renunciar. Em conversas nos últimos dias, Dirceu argumentou com eles que a renúncia seria um erro e que todos deveriam enfrentar o julgamento político. Posição contrária a aquela defendida por Lula, que desejava a renúncia de todos como forma de abreviar a crise política. Ao ser informado que nenhum dos deputados do PP envolvidos no escândalo do mensalão renunciaria, Dirceu argumentou que ficaria muito ruim para a imagem dos petistas comportamento semelhante. Apesar de ter influenciado na decisão dos petistas, Dirceu evitou comandar a operação pessoalmente. Em agosto, quando evitou a renúncia desses mesmos deputados, o ex-chefe da Casa Civil provocou a ira do Palácio do Planalto e do próprio presidente Lula, que naquele momento já defendia a renúncia. Ontem à noite, em conversa por telefone com O GLOBO, Dirceu evitou comentar a decisão dos colegas de bancada."

"A mídia me julgou e me condenou", acusa Dirceu em carta

Dirceu passou o dia ontem com os advogados preparando sua defesa que apresenta hoje no Conselho de Ética. Até ontem, Dirceu já tinha falado com cerca de 200 deputados, por telefone. Dirceu avalia que seu processo será julgado no próximo dia 26. (...) Ontem, ele mandou para os 512 deputados uma carta de três páginas fazendo um apelo político por sua defesa. No texto, ele afirma que está há 150 dias sob a acusação de ter coordenado um esquema de corrupção para favorecer parlamentares e diz que 'a denúncia contra um político é como epidemia contagiosa'. Em tom humilde, Dirceu reconhece que durante sua gestão na Casa Civil pode ter acumulado mágoas e ressentimentos dos parlamentares. (...) Na carta, Dirceu faz duras críticas à imprensa. Afirma que a pressão da mídia é o combustível do Congresso e que o prejulgamento da opinião pública aterroriza os homens públicos. 'A mídia me julgou e me condenou no dia em que um deputado corrupto resolveu se vingar por eu ter negado qualquer proteção para livrá-lo do processo que viria' escreveu Dirceu, referindo-se ao ex-deputado Roberto Jefferson. E conclui: 'Quando a mídia escolhe alguém para crucificar, justa ou injustamente, não há reputação que resista incólume'. "


Serraglio: chances de salvação no conselho são pequenas

"O Conselho de Ética volta a se reunir hoje, às 10h, para a escolha dos relatores dos 11 cassáveis, por sorteio. (...) Relator da CPI dos Correios e autor do parecer que deu origem aos processos de cassação, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) disse ter confiança que o plenário da Câmara levará até o fim os processos. Na sua opinião, aqueles que não renunciaram apostando na impunidade, estão equivocados. (...) Pelas provas reunidas pela CPI, afirmou, as chances de salvação são pequenas. O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) admitiu que a expectativa era de um número maior de renúncias entre os acusados. Mas considerou sintomática a decisão dos que vão enfrentar o processo, mostra de que têm esperança de salvar os mandatos:
— A Câmara fica agora com uma responsabilidade maior na condução do julgamento. Temos de aumentar a vigilância."


Crise impede presença de Lula e FHC na campanha do 'sim'

"Anunciada no início do ano como um dos principais trunfos da campanha contra a venda de armas e munição, a participação de Lula ao lado de seu antecessor FHC no programa eleitoral vai ficar apenas nos planos da campanha do “Sim” do referendo de domingo. Até agora os dois não apareceram no programa e não deverão gravar mensagens pedindo votos para a proibição do comércio de armas. A ausência foi justificada pelos organizadores da campanha com a crise política instaurada no país após as denúncias de pagamento de mensalão, que afastou ainda mais petistas e tucanos. A iniciativa de aproximar Lula e Fernando Henrique foi do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), secretário-executivo da frente parlamentar do “Sim”, confirmou que a crise política inviabilizou a aproximação dos dois e a gravação da mensagem para o programa."


Parlamentares reagem indignados a declarações de Delúbio

"Reincidentes tentativas do governo e do PT de desqualificar as denúncias de corrupção e o trabalho de investigação das CPIs provocam fortes reações entre parlamentares, inclusive da base aliada. A última tentativa de desconstruir a gravidade das denúncias partiu do ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, personagem central no escândalo do esquema do mensalão e do caixa dois na campanha eleitoral do PT. Ao comemorar seus 50 anos numa festa em sua terra natal, Buriti Alegre, em Goiás, Delúbio afirmou que 'em três ou quatro anos tudo será esquecido e acabará virando piada de salão', segundo reportagem de ontem do Estado de S.Paulo. Na opinião do deputado Eduardo Paes, a declaração de Delúbio é um reflexo de uma estratégia articulada pelo presidente Lula, um dos primeiros a menosprezar as irregularidades detectadas na comissão.
— Como o presidente patrocina a tese de que tudo isso é nada demais, imagine se Delúbio vai se preocupar com alguma coisa? Mas essas afirmações só aumentam a disposição das CPIs de punir esses picaretas todos — diz Paes.
O senador Aloízio Mercadante , foi duro:
— É uma declaração infeliz. O sentimento da sociedade é de indignação. E o sentimento da nossa militância é de dor diante da história que construímos com tanta luta — lamentou.
O líder do PMDB no Senado, Ney Suassuna , também condenou Delúbio:
— Delúbio aposta na impunidade. Tanto que até debocha. (...)
O deputado ACM NETO protestou:
— Até hoje não houve diligência ou ato coercitivo contra Delúbio. Ele se sente protegido. É um acinte."

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home