terça-feira, outubro 18, 2005

DESTAQUES DO ESTADÃO DE HOJE:

Lula, que esperava renúncia coletiva, se mostra decepcionado

Lula, que estava esperando a renúncia em bloco de todos os parlamentares petistas que podem ser cassados pelo Conselho de Ética, não ocultou a sua decepção ao saber que apenas um abriu mão do mandato, informou a Agência Estado. “Mas só o Paulo Rocha renunciou?”, teria reagido o presidente ao saber que, findo o prazo para que os seis petistas citados pelas CPIs dos Correios e do Mensalão como beneficiários do valerioduto deixassem a Câmara, apenas Rocha havia seguido a recomendação do Planalto para tentar pôr fim à crise política. Lula se empenhou pela renúncia coletiva e recomendou aos ministros e líderes aliados que fizessem o mesmo, convencido de que a saída do grupo do Congresso tiraria munição da oposição contra o governo.



AGU move ação contra aumento para Câmara e Senado

"Um mês e 15 dias depois de o Congresso ter derrubado o veto de Lula, à lei que reajustava em 15% os salários dos servidores da Câmara e do Senado, o governo entrou ontem no (STF) com uma ação direta de inconstitucionalidade contra o aumento. Decidiu também não enviar projeto de lei de crédito adicional ao orçamento da União deste ano para cobrir as despesas com o pagamento dos 15%. Como não havia previsão orçamentária para o reajuste salarial, a Câmara e o Senado não terão como pagá-lo sem reforço em suas dotações. O prazo para o envio de projetos de créditos adicionais terminou na sexta-feira. Ao todo, o governo encaminhou 24 projetos, mas o reforço das dotações do Legislativo não estava entre eles




Governo concentra esforços para entregar obras até julho

"De olho no calendário eleitoral, que impõe restrições a gastos em ano de eleições, o governo deu ontem o pontapé inicial para acelerar a execução do orçamento neste ano e no início de 2006. Foram instaladas oficinas de trabalho para acompanhar o andamento dos projetos prioritários de investimento e resolver os gargalos que têm dificultado a sua execução. A estratégia do governo é também adiantar o mais rápido possível a elaboração dos novos projetos para 2006 para que eles possam ser executados até o final de junho. A partir de julho, a lei eleitoral estabelece uma série de impedimentos para liberação de recursos do orçamento. 'Nós não temos tempo. (...) Temos que tomar cuidado para que não haja descontinuidade dos projetos', cobrou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, na abertura das oficinas em seminário no Ministério do Planejamento, com os 30 gerentes dos principais programas do governo



Comissão é instituída para atuar nos casos Daniel e Toninho

"O Diário Oficial da União publicou ontem resolução do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), constituindo comissão especial de acompanhamento dos assassinatos dos ex-prefeitos de Campinas Toninho do PT e de Santo André Celso Daniel, também petista. Segundo a resolução, assinada pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Dulci, a comissão será integrada por Humberto Pedrosa Espinola, representante do CDDPH, na qualidade de relator; José Edísio Simões Souto, presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB; Paulo Galvão, representante do Ministério Público Federal; Marina da Silva Steinbruch, representante da Defensoria Geral da União, e José Silvestre Gorgulho, representante da Associação Brasileira de Imprensa (ABI). A comissão terá 120 dias para o trabalho, prorrogável pelo prazo necessário."

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home