terça-feira, janeiro 31, 2006

MAIS UMA CANALHICE DO JUDICIÁRIO!

O Globo, hoje:



"O sigilo de Paulo Okamotto foi quebrado depois que ele assumiu ter pago dívida de R$ 29,4 mil de Lula com o PT, mesmo sem o conhecimento do presidente.

será, que o apedeuta não tinha conhecimento mesmo??? ora bolas conta outra!



A oposição suspeita que o empréstimo tenha sido pago com recursos do caixa dois do PT, alimentado pelo valerioduto, e por isso quer saber se as operações estão registradas nas contas de Okamotto.



A decisão de Okamotto de recorrer ao Judiciário teria o dedo do Palácio do Planalto, que desde o ano passado cogita entrar na Justiça para restringir a atuação da CPI mas teme ser acusado de interferir no Legislativo."




"Desde o início da crise política, o Supremo Tribunal Federal (STF) tem tomado decisões polêmicas, consideradas pelo Congresso interferência indevida entre os poderes."


comentário meu: já perdi a paciência com esse judiciário, que está servindo mais aos bandidos petralhas, que ao país. o apedeuta conseguiu comprar até isso!

sexta-feira, janeiro 27, 2006

SERÁ??

2006: o ano em que faremos contato
por André Arruda Plácido em 27 de janeiro de 2006





© 2006 MidiaSemMascara.org

Depois de Lula avisar aos seus “amigos e amigas” de que o Brasil é uma Suécia tropical, a única alternativa que resta aos brasileiros é a de mostrarmos ao presidente “traído” que já passou do momento de fazer com que ele volte ao lugar de onde nunca deveria ter saído: do meio sindical.



Até dezembro de 2005 os gastos do governo com publicidade superaram em R$ 27 milhões os investimentos em saúde e em R$ 12 milhões na educação, sem contar gastos com publicidade dos Correios, Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Já a média de investimentos de Lula-lá é a pior desde a época dos militares. Não passou dos R$ 11,6 bilhões anuais. Menor que os R$ 12,5 bi do general João Batista Figueiredo e muito abaixo dos R$ 17,5 bi de FHC.



Dez entre dez economistas responsáveis não se cansam de dizer que apesar de 2005 ter sido de prosperidade econômica em todo o planeta, para nós foi ruim. Segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), entre os países da região, temos vários à frente do Brasil como: Nicarágua, Peru, Paraguai e Bolívia - do grande ex-“líder cocaleiro” e hoje presidente, Evo Morales - e suas taxas de crescimento do PIB oscilam entre 2,8% a 9%. Mas Lula se gaba com pífios 2,5% do “show do crescimento” de seu governo. Mas ainda estamos à frente de superpotências econômicas como Jamaica, El Salvador, Guiana e Haiti!



Mas para Lula tudo vai bem. Ele voou em seu milionário “Air Force 51” nada menos de 206.883 quilômetros em 5,16 voltas ao mundo por 25 países em 50 dias pelo exterior. No Brasil o governo gastou, em 2005, segundo o Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), R$ 8,6 milhões em festas e publicidade. Valor muito maior do que o investido no Programa de Prevenção para Emergências e Desastres: R$ 2,3 milhões. O Ministério da Defesa também torrou dinheiro: R$ 3,2 milhões em aluguel de mesas, toalhas e jantares. Já o Ministério do Desenvolvimento Social paga, desde outubro, R$ 124.157,15 mensais por um prédio próximo à Esplanada dos Ministérios. A Caixa Econômica Federal avaliou o máximo que deveria ser pago pelo imóvel: R$ 59,8 mil. No preço do ministério o metro quadrado sai a R$ 47; no cálculo da Caixa, apenas R$ 20. Tudo isso para abrigar o Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS) e o almoxarifado do ministério que cuida do programa “Fome Zero”.

O Palácio do Planalto mandou comprar 144 porta-canivetes suíços que serão usados pelos seguranças do presidente e seu vice. Também foram encomendadas flores tropicais, do campo e nobres por 47.600 reais.



A operação tapa-buraco-eleitoral de Lula, além de sofrer críticas de especialistas, é acusada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de contratar sem licitação empreiteiras que já prestaram serviços com indícios de “irregularidades graves”. Exemplo: um dos contratos possui sobre preço de 117%, e a empresa contratada no Paraná foi impedida de participar de licitações por cinco anos. A Associação Nacional das Empresas de Obras Rodoviárias (Aneor) e o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon) enviaram carta a Lula: “Isso que está se fazendo agora deverá se estragar com as primeiras chuvas. São obras que não mexem com a estrutura dos pavimentos”.



A CPI dos Correios descobriu mais R$ 4,1 milhões que saíram de contas ligadas a Visanet, que foram transferidas para o PT via SMP&B de Marcos “Mensalão” Valério declarados como “empréstimos para o PT”.

Em 2006, os brasileiros honestos que não agüentam mais mentiras, roubo, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, corrupção, incompetência, frases néscias em maltratado português, impunidade, acordos para salvar os bandidos do caixa 2 e “facadas pelas costas”, farão contato com o presidente que finge não saber de nada, que finge viver no mundo da lua e que demitiu o “capitão do time”, José Dirceu, mesmo crente de sua inocência e de que contra ele não há provas. Nosso contato será por meio das urnas, será a vingança por tudo aquilo de que o PT fingiu não participar em 25 anos, mas, que em menos de três, revelou sua despreparada, vergonhosa e verdadeira face.





SOBRE O AUTOR:

O autor é professor de comunicação, escritor e jornalista, graduado em Relações Públicas pela Universidade Estadual de Londrina (PR) e especializado em Comunicação e Liderança pelo Haggai Institute, de Cingapura.


comentário meu: espero que o autor esteja certo à respeito da derrota do apedeuta de nove dedos nas eleições deste ano, apesar de ter muitas dúvidas!

tenham um excelente final de semana!

beijos

bloody

quinta-feira, janeiro 26, 2006

SHOW DE HORROR

ASSISTI A CPI DOS BINGOS COM O DEPOIMENTO DO MÉDICO DA LÍNGUA PRESA, APENAS POR CONSIDERAÇÃO AOS MEUS QUERIDOS LEITORES, QUE NÃO TIVERAM A OPORTUNIDADE DE ASSISTIR-LÁ E, TAMBÉM PARA AQUELES QUE APRECIAM A MANEIRA RÍSPIDA HIRÔNICA E ATÉ INCIVIL, QUE ESCREVO A RESPEITO DA CORJA BANDIDOS QUE ASSALTARAM NOSSO PAÍS.

MAIS UMA VEZ TIVE NOJO, NOJO MESMO DESSE DEPOIMENTO PÍFIO. PARA NÃO FUGIR A REGRA ESSE COMUNISTA TRAVESTIDO DE CAPITALISTA NEO- LIBERAL, MAIS CONHECIDO, COMO MINISTRO DA FAZENDA, NEGOU DE MANEIRA PEREMPITÓRIA – PALAVRA MUITO APRECIADA PELOS HIPÓCRITAS E MENTIROSOS PETRALHAS- QUE DESCONHECE QUAISQUER IRREGULARIDADES E DESVIOS DE DINHEIRO PÚBLICO PARA A CAMPANHA DO APEDEUTA DE NOVE DEDOS , QUE POR SUA VEZ, ESTÃO SENDO DENÚNCIADAS POR SEUS ´´AMIGOS´´ DE BANDIDAGEM.
O MINISTRO DISSE DE MANEIRA MUITO FRIA E SÍNICA, CARACTERÍSTICAS MUITO PRESENTES EM LADRÕES, QUE JAMAIS OUVIU FALAR DE DÓLARES VINDOS DE CUBA.

MAIS O QUE MAIS ME DEU NOJO, É QUE SENADORES QUE SE DIZEM DA OPOSIÇÃO, DISSERAM QUE O MINISTRO SE DEU MUITO BEM E QUE CHEGOU ATÉ CONVENCÊ-LOS, COM EXCEÇÕES DOS SENADORES ALVARO DIAS E DEMÓSTENES TORRES, QUE INQUIRIRAM O MINISTRO DE MANEIRA MUITO DURA E PERTINENTE!

MAIS UMA VEZ FOMOS OBRIGADOS A AGUENTAR MAIS UMA MENTIRA!
ATÉ QUANDO NÓS FICAREMOS DORMINDO EM BERÇO EXPLÊNDIDO??? ATÉ QUANDO ACEITAREMOS TANTA CANALHICE?? QUE BRASILEIROS SOMOS NÓS?? SE NÃO FIZERMOS NADA, ESTAREMOS SENDO CONIVENTES A ESSES BANDIDOS, DANDO-LHES CARTA BRANCA PARA ROUBAREM CADA VEZ MAIS!


ABRAÇOS

BLOODY

quarta-feira, janeiro 25, 2006

RESUMO DO DIA

Serra diz que é criticado por ter “idéias próprias” e não ser
“pau-mandado”; para Alckmin, é tarefa do PSDB definir o
critério para escolha do candidato e costurar entendimento
*
Líderes avaliam que queda da verticalização perdeu força
*
Denúncia de “pizza” paralisa votação da cassação de Brant
*
Em sua 1ª encíclica, Bento 16 diz que sociedade justa é obra
da política, não da Igreja, e que marxismo é sonho acabado
*
Palestinos votam; Hamas é minoria, mas conquista espaço


TUCANOS — Na entrevista que concedeu depois de um evento em comemoração aos 452 anos de fundação da cidade de São Paulo, o prefeito José Serra, um dos pré-candidatos do PSDB à Presidência, afirmou que sofre críticas por ter idéias próprias. “Às vezes, fazem críticas a mim, dizendo: ‘O Serra tem idéias próprias’. Acho engraçado, mas não é algo que me incomode”, disse. Ele também declarou não saber se esse seria o motivo pelo qual não chegaria à Presidência, conforme afirmou o ex-ministro José Dirceu (PT), para quem Serra não é pau-mandado. “Não sei se, por isso, não seria [presidente], mas, efetivamente, não é compatível com a minha trajetória ser pau-mandado”, afirmou. O outro pré-candidato tucano, o governador Geraldo Alckmin, disse no mesmo evento que cabe ao PSDB escolher o nome do candidato, os critérios para isso e como chegar a um entendimento interno. Veja notas em Política.


VERTICALIZAÇÃO — A proposta de emenda constitucional (PEC) que acaba com a regra da verticalização das coligações partidárias e que seria votada nesta quarta perdeu força, segundo a avaliação de alguns líderes, depois que o PT e PP decidiram votar contra a mudança, assim como a maioria do PSDB. Como se trata de uma alteração da Constituição, são necessários os votos de dois terços dos deputados. Até mesmo no PFL, que ainda mantém a decisão de aprovar a PEC, há quem se manifeste contra a proposta. Veja notas em Política.


PIZZA — O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), chegou a suspender nesta quarta a sessão de votação do parecer que recomendou a cassação do deputado Roberto Brant (PFL-MG) por envolvimento do valerioduto. O motivo: a denúncia de que pefelistas, pepistas e petistas tentavam firmar um acordo para livrar Brant da punição em troca de outras absolvições. “Não tem como um acordão dar certo aqui no Conselho. Vamos apurar as denúncias”, disse Izar. À tarde, o assunto foi retomado, mas novamente interrompido porque começaria uma sessão na Casa. A votação, ao fim, ficou para a manhã desta quinta. Os votos já declarados sugeriam placar apertado, e o resultado era ainda imprevisível. Veja notas em Política.


PAPA — Em sua primeira encíclica — carta solene dirigida aos católicos —, o papa Bento 16 afirma que a Igreja não pode substituir o Estado na hora de buscar a justiça. “A sociedade justa não pode ser obra da Igreja; deve ser realizada pela política”, diz o texto. O papa também falou sobre o marxismo, doutrina que influenciou o catolicismo em muitos países, inclusive no Brasil. “O marxismo tinha indicado, na revolução mundial e na sua preparação, a panacéia para a problemática social”, afirma. “Este sonho desvaneceu-se.” Veja notas em Internacional.


PALESTINOS VÃO ÀS URNAS — Os palestinos foram às urnas nesta quarta escolher seu parlamento. O resultado da eleição, a segunda em uma década, não foi apurado no dia, mas uma pesquisa divulgada pela emissora de TV israelense Channel 2 mostrou que o partido do presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, o Fatah, deve ter ficado com 43% dos votos. O Hamas, o grupo terrorista que se apresentou como opção eleitoral pela primeira vez, pode ter conseguido 32%. Os Estados Unidos e Israel acompanharam com preocupação o pleito, temendo o avanço do Hamas, com o qual se recusam a negociar. Veja notas em Internacional.


comentário meu: APESAR DO PAPA BENTO XVI NÃO SER TÃO SIMPÁTICO, COMO JOÃO PAULO II, ACHO QUE EM SUA PRIMEIRA ENCÍCLICA, PROVOU SER MUITO INTELIGENTE E CAPAZ!

A PIZZA NO CONSELHO DE ÉTICA FOI SERVIDA, NÃO ME ESPANTARIA SER ELA, TAMBÉM FOR COMIDA E DIGERIDA

O PALOCCI NA CPI DOS BINGOS VAI SER PIADA, ELE COMO TODOS OS PETRALHAS, IRÁ NEGAR, NEGAR E NEGAR E AINDA POR CIMA VAI SER MUITO BEM TRATADO PELA FALSA OPOSIÇÃO!


O HAMAS ESTÁ CONSEGUINDO CHEGAR ONDE SEMPRE QUIS, POR PURA BURRICE DE PALESTINOS DÉBEIS. E NÓS DO OCIDENTE, PAGAMOS O PATO!


BEIJOS

BLOODY

terça-feira, janeiro 24, 2006

teoria de rui nogueira no caso celso daniel

PT, Celso Daniel e PSDB: teoria conspiratória reversa
Por Rui Nogueira

Aos berros, respondendo às acusações gritadas pelo senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) disse no início desta semana que é a favor de que as investigações do caso Celso Daniel eliminem de uma vez por todas as dúvidas que pairam sobre o assassinato do prefeito de Santo André e o papel de uma penca de obscuros personagens, de políticos a empresários, passando por uma coleção de bandidos profissionais.

Depois dos depoimentos levados a cabo pela CPI dos Bingos, não creio que haja muito mais a esclarecer. Não advogo, claro, que as convicções dispensem provas para condenar alguém. Mas dúvidas reais, aquelas que imobilizam e não deixam entender o caso, essas, senador Mercadante, não existem. O depoimento do perito Paulo Vasques e a exibição das fotos, nesta terça, foram impressionantes – o que tornou mais gritantes as revelações dos delegados José Pinto de Luna (da Polícia Federal) e Edson Santi (do Deic/Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado). E tornou-as gritantes porque acrescentaram à trama macabra um aspecto pouco destacado na mídia, o que batizaremos aqui de “teoria conspiratória reversa”.

Isso mesmo: se Celso Daniel foi vítima de uma quadrilha político-empresarial, a apuração do crime foi claramente atrapalhada por um raciocínio que permitiu que o PT se tornasse dono das decisões dos governos tucanos federal (FHC) e estadual (Geraldo Alckmin) da época. Reparem: disse que o PT influenciou as decisões, mas a responsabilidade pelas decisões é dos governos tucanos. Aonde quero chegar? Na obviedade revelada pelos delegados Luna e Santi.

A reeleição foi adotada para “prejudicar” Lula, que estaria à beira de se eleger – isso até podia ser verdade na campanha de 1989, mas nunca foi verdade nas campanhas de 1994 e de 1998, nesta com o estatuto da reeleição em vigor. Mas Lula sempre fez o discurso de operário vitimado pela elite política. Esta verve petista, que a todo o instante evocava a teoria conspiratória da elite contra o pobrezinho do Lula, pairou sobre as almas políticas tucanas em janeiro de 2002, na abertura do ano eleitoral, sob o impacto do assassinato do prefeito Celso Daniel. E o que os tucanos fizeram: desenvolveram uma teoria conspiratória reversa.

Explico: com medo de que uma investigação séria do caso Celso Daniel jogasse luz sobre as responsabilidades de lideranças petistas, tumultuando o ambiente político e atrapalhando os planos de Lula, os governos tucanos compactuaram com uma artimanha política que agora revela seus efeitos por inteiro. Se era para valer a participação da Polícia Federal nas investigações, o governo FHC não podia aceitar que os petistas indicassem os delegados destacados para a missão. Luna disse na CPI dos Bingos, nesta terça, que ele e Marcelo Baltazar foram indicados por lideranças petistas. O Deic, do governo do Estado, diante dos furos revelados pelos legistas, não entrou para investigar, mas para corroborar a tese prévia do PT: de que Celso Daniel fora vítima de um crime comum.

O PSDB de 2002 conspirou a favor do PT com medo de fazer o que deveria ter feito, de ser acusado de conspirar contra o candidato petista e ter de explicar por que a revelação dos criminosos no caso Celso Daniel atrapalhara a caminhada de Lula em direção ao Planalto. Lula nunca foi vítima de nada e parece, somados o caso Celso Daniel às investigações do mensalão, que é cada vez mais beneficiário, isso sim, do imobilismo da oposição.

Os tucanos se deixaram tolher no caso Celso Daniel e repetiram a dose quando, diante das investigações do mensalão, temeram, entre outros motivos, ser acusados, mais uma vez, de contribuir para atrapalhar o governo do “popular” Luiz Inácio Lula da Silva. Agora vão ter de remar contra a maré e ainda se explicar sobre o papel faz-de-conta da PF nas investigações do caso Celso Daniel. Já o PT sempre pode dizer que fez as indicações, cabendo ao Planalto de FHC aceitá-las ou não.

E não é isso?!

[ruinogueira@primeiraleitura.com.br]
Publicado em 24 de janeiro de 2006.
comentário meu: o que vcs acham disso? é uma fantasia de rui nogueira? ou o PSDB, não investigou direito ao caso por medo do PT colocar a tona em 2002, em plena campanha do Serra o escândalos das TELES?
deixe seu comentário ele será muito importante!

beijos

bloody

DUDA , O FEITICEIRO MALIGNO DOS PETRALHAS.

COMO TODOS VCS JÁ DEVEM SABER, DUDA O FEITICEIRO MALIGNO DOS PETRALHAS, NÃO TEM SOMENTE UMA CONTA IRREGULAR NO EXTERIOR E SIM DUAS, ISSO SE NÃO TIVER MAIS E, TUDO COM O CONHECIMENTO E AVAL DO MINISTRO DA JUSTIÇA, MAIS CONHECIDO COMO, O ADVOGADO DE PORTA DE CADEIA DOS PETRALHAS, E DOS PRÓPRIOS PETRALHAS E TAMBÉM, É CLARO DO APEDEUTA DE NOVE DEDOS!
E O QUE MAIS ME ENOJA, É QUE A FALSA OPOSIÇÃO, SABENDO DISSO CHANTAGEOU OS PETRALHAS, DIZENDO QUE SE ELES COLOCAREM O NOME DO EDUARDO AZEREDO NO RELATÓRIO DA CPMI DOS CORREIOS, ELES CONVOCARÃO O FEITICEIRO MALIGNO A CPMI. TUDO PORQUE, DUDA, O FEITICEIRO, DISSE QUE SE FOR CONVOCADO NOVAMENTE, FALARÁ DE TODOS OS SENADORES OS QUAIS ELE TRABALHOU,PRATICARAM O CAIXA DOIS.
MAS, HOJE EM PLENA SESSÃO PLENÁRIA ESSES MESMOS SENADORES TROCARAM BEIJOS E ABRAÇOS E NEGARAM A MATÉRIA DA REVISTA VEJA, QUE TROUXE ESSA DENÚNCIA. E MAIS, TIVERAM A CORAGEM DE DIZER, QUE ALI NO SENADO, SÃO TODOS COMPANHEIROS E QUE TUDO É TRATADO COM ABSOLUTA TRASPARÊNCIA!!!!!!!!!!!!!!!!! ACREDITEM SE QUISER!!!!!!!!!!!!!!!

BEIJOS

BLOODY

SORRY

DESCULPEM-ME PELA GRANDE FALTA. MAIS UMA VEZ ME AUSENTEI DO PLANETA VIRTUAL, EM ABSOLUTO DO PLANETA REAL, POR PROBLEMAS TÉCNICOS. O COMPUTADOR É UMA DAS MELHORES INVENÇÕES DOS ÚLTIMOS TEMPOS, TALVEZ DE TODA HISTÓRIA, PORÉM QUANDO ESTA MÁQUINA MARAVILHOSA RESOLVE PIFAR, ASSIM COMO ELA, FICAMOS FORA DO AR!

MAS O QUE ME INTERESSA E A VCS, PRINCIPALMENTE SÃO OS NOVOS ESCÂNDALOS DO QUADRO POLÍTICO BRASILEIRO EM ESPECIAL DOS PETRALHAS. QUANTAS FALCATRUAS... MEU DEUS DO CÉU, ONDE VAMOS PARAR?
O APEDEUTA CONTINUA MAIS FORTE DO NUNCA, CRESCE EM PESQUISAS, ISTO SE ESSA ÚLTIMA DIVULGADA FOR VERDADEIRA, ROUBA CADA VEZ MAIS, MENTE CADA VEZ MAIS, NOS INOJA CADA VEZ MAIS E NENHUMA PROVIDÊNCIA É TOMADA. NÃO ME ME CAUSARIA ESPANTO SE LULA VENCESSE AS ELEIÇÕES DESTE ANO. A FINAL VIVEMOS EM PAÍS ONDE SER CRIMINOSO E CANALHA DEIXOU DE SER UM CRIME E PASSOU A SER HÁBITO DE MUITOS, NÃO DE VCS E MUITO MENOS DE MIM, MAS PARA MAIORIA VIROU.

NO PRÓXIMO POST, VOLTAREI COM UM RESUMO DOS ÚLTIMOS ESCÂNDALOS!

NÃO PERCAM. ATÉ LOGO

BEIJO

BLOODY

segunda-feira, janeiro 09, 2006

VOTO NULO

Considerações sobre o Voto Nulo
por Ipojuca Pontes em 09 de janeiro de 2006

A discussão sobre o voto nulo está na ordem do dia. Grande parte do eleitorado começa a considerá-lo uma alternativa válida para as próximas eleições, tanto no que diz respeito ao pleito majoritário (presidente, governador e senador), quanto ao pleito proporcional (deputado federal e estadual). Se o movimento não arrefecer, o cidadão brasileiro terá uma oportunidade única para aperfeiçoar as regras do jogo, ao exercer o legítimo direito de acionar o voto nulo.

Antes de tudo, diga-se que o voto nulo não é um ato contra a democracia. Pelo contrário: anular o voto, para além de significar vigoroso protesto contra os partidos e os políticos indesejáveis, que transformaram as eleições num jogo viciado, se afirma como uma recusa plena de múltiplas intenções e que atende às exigências das mais diversas camadas do eleitorado consciente.

Para os conservadores e liberais, por exemplo, o voto nulo pode significar a recusa ao pensamento único que se instalou na vida política brasileira, onde vige a predominância exclusiva da ideologia esquerdista, afeita ao mais desabrido culto do intervencionismo estatal como forma de atender ao que se convencionou chamar de “demandas públicas”, o apanágio malandro de políticos como José Serra, Lula, Alckmim, FHC, Heloísa Helena, César Maia, Garotinho e o atrevido Ciro Gomes, uns e outros socialistas “utópicos” ou “científicos”.

De fato, neste sentido, o voto nulo pode ser entendido como o repúdio possível ao pensamento político que leva ao fortalecimento do Estado e sua corrosiva presença, consubstanciado num sem-número de ministérios e empresas públicas, o que significa dizer, mais subsídios, impostos, empreguismo, mordomias, privilégios, corrupção, roubos, aumentos das tarifas públicas acima da inflação, isonomias salariais (pelo alto) para políticos e burocratas de todos os governos – de custo muito pesado que molestarão, inevitavelmente, o bolso do cidadão que está fora da dança.

Por outro lado, para os amantes da democracia representativa, o exercício do voto nulo pode abrir os caminhos, mais tarde, para a extinção do voto obrigatório, uma perversão autoritária inexistente nos países civilizados e que obriga o cidadão-contribuinte a fazer o que não deseja: votar, por força de lei, em políticos manhosos, hipócritas e desclassificados.

Ademais, com a prática do voto nulo, em determinados momentos a mais eficiente arma que se dispõe na democracia brasileira, o eleitor, por meio de campanhas e mobilização geral, poderá exigir que o exercício do mandato representativo, majoritário ou proporcional, venha a se tornar um “ato voluntário”, como ocorre em países como Suíça e alguns estados dos EUA, o que significa dizer que o político idealista e generoso, empenhado em nos salvar, não arrastará mais um só centavo da nossa exaurida carteira: ele será um “voluntário”.

O mais positivo na prática do voto nulo é, sem sombra de dúvida, a possibilidade do eleitor “interagir” no processo eleitoral, a partir da regra estabelecida de que, no segundo turno, se nenhum candidato conseguir a maioria (mais de 50% dos votos), a eleição está obrigatoriamente cancelada e um novo pleito será realizado. Melhor ainda: é automático o afastamento dos candidatos, pois eles não poderão mais concorrer à eleição e serão substituídos por novos nomes (não se trata aqui de devaneio: nas últimas eleições, conforme rezou a lei, 28 municípios do País tiveram suas eleições anuladas pelo imperativo do voto nulo).

Os formadores de opinião “politicamente corretos”, comprometidos com a supremacia do pensamento único acham que o voto nulo, além de inútil, pode representar um efeito adverso ao pretendido. Eles acreditam que só pelo exercício do “voto útil”, pode-se melhorar a “qualidade da nossa vida político-partidária” (editorial de “O Globo”, em 03/01/2006). Trata-se de uma projeção panglossiana, para não dizer idiota, que não bate com a realidade. Pelo contrário. Com o desaparecimento do contraditório, e de políticos do porte de um Afonso Arinos, por exemplo, a cada eleição a representatividade política do País só faz piorar. E não poderia ser de outro modo, pois a essência da atividade política no Brasil e na América Latina tem sido o exclusivo cultivo, pelos partidos ditos “progressistas”, do populismo e da demagogia – refinada ou grosseira – como forma de se chegar ao poder.

Assim, mais do que um protesto, o voto nulo, na atual fase da vida brasileira, é uma necessidade. Como já foi dito, ele é importante porque pode se tornar um instrumento de combate na luta pelo aperfeiçoamento da democracia. Mais do que um veio de insatisfação, o voto nulo é uma forma automática de cancelar eleições e expelir do processo candidaturas nefastas – o que representa um avanço político admirável.

Ao que se informa, o grande obstáculo para que o voto nulo torne-se uma prática corrente é a sua difícil ou ainda não esclarecida operacionalidade. Nas instruções de votação e uso da urna eletrônica, não se toca no assunto, nem se explica como anular o voto. Seria de propósito? Claro que sim! Para confundir o eleitor, a urna eletrônica acionada indica que o presumível voto (nulo) é “errado”, surgindo na tela o pedido para que o eleitor corrija a digitação. Trata-se, até prova em contrário, de um engodo programado.

Para acionar o voto nulo basta o cidadão digitar um número que não pertença a nenhum candidato. E depois, mesmo com o aparecimento do aviso “errado”, é só apertar a tecla verde para confirmar o voto nulo. Com o gesto, o eleitor acaba por mandar Lula e espécimes congêneres para o olho da rua.

Tem voto mais útil?

SERRA OU ALCKMIN????

"Serra ou Alckmin? Ganhar para quê?"
por João Luiz Mauad


Reinaldo Azevedo - na minha humilde e sincera opinião um dos melhores cronistas brasileiros da atualidade, herdeiro do estilo, da verve e da grande erudição do genial Nelson Rodrigues - publicou terça-feira última no Primeira Leitura, um extenso artigo com o mesmo título acima, em que defende a candidatura de José Serra à Presidência da República pelo PSDB.

O grande jornalista e intelectual nos diz que o essencial é não deixar Lula ser reeleito. No seu entendimento, as reiteradas promessas de Serra durante a última campanha eleitoral, segundo as quais permaneceria no cargo até o fim do mandato, não deveriam causar-lhe maiores constrangimentos, uma vez que elas foram uma "resposta" necessária à campanha publicitária do PT "que tinha como objetivo garantir mais um ano e três meses de mandato" para Dona Marta. Considera "ridículo" e "mesquinho" o debate sobre a conveniência ética de uma eventual renúncia do alcaide para concorrer à Presidência. Ainda que não goste de passarinhos, o jornalista mandou os "escrúpulos às favas" (desculpem, não resisti ao trocadilho) e defendeu a sua tese com a mesma ênfase de quem acredita que os fins justificam todos os meios - o que não é, estou certo, o seu caso.

Não satisfeito, foi além. Jogou no centro do debate um caso análogo, ocorrido com Pallocci na Prefeitura de Ribeirão Preto, dizendo tratar-se de "cobrança ética seletiva" o fato de se estar exigindo uma postura de Serra que não se cobrou, outrora, do atual Ministro da Fazenda. Posso ter interpretado mal - espero que sim - mas esse argumento pareceu-me tão inconsistente quanto aquele do Presidente Lula, segundo quem os casos de corrupção que abundam no governo e no PT seriam, apenas e tão somente, uma repetição do que "sempre existiu nesse país". De acordo com o raciocínio, José Serra, caso leve adiante a sua candidatura, também não estará "praticando nada que já não tivesse sido feito muitas vezes".

Acho que não se pode transigir com a ética e sei que o Reinaldo concorda comigo, pois conheço a sua postura contrária ao "relativismo moral" reinante por essas bandas. Há momentos em que os Homens têm que fazer escolhas, cujas conseqüências são definitivas. O prefeito teve que fazer uma dessas escolhas um ano atrás e não pode agora simplesmente fingir que não a fez, sob pena de jogar a própria honra, a palavra empenhada, na lata do lixo. Se quiserem, podem incluir-me no rol dos "patrulheiros do moralismo". Não ligo a mínima! Já sou chamado de reacionário raivoso, de fascista, etc. Mais uma dessas alcunhas não fará qualquer diferença.

O outro tema tratado no texto foi o econômico. Nesse aspecto, nossas opiniões convergem quando ele diz que estamos precisando de um "choque de capitalismo". Meu desacordo é quanto à pessoa certa para colocar em prática esse choque. Reinaldo acha que é o Serra, eu penso que não seria nenhum dos dois. Entretanto, encarando a questão de forma pragmática, já que eles são até o momento as melhores, senão as únicas, alternativas da oposição, minha escolha seria Alckmin. Explico:

Um verdadeiro e efetivo choque de capitalismo pressupõe, por parte dos governos, a defesa intransigente do direito de propriedade. Direito substantivo, sem adjetivações. Propriedade plena, que não esteja sujeita nem vinculada a nada; nem a esdrúxulas "funções sociais"; nem à saúde pública; nem ao sei lá o quê público. E, nesse aspecto, tenho sérias restrições ao passado de José Serra como Ministro de Estado. Sua passagem pelo Ministério da Saúde mostrou que ele não tem muito apreço por esse princípio consagrado do capitalismo. "Sua" lei dos genéricos e a possibilidade de quebra de patentes foram decisões eminentemente populistas e anti-capitalistas que podem ter trazido algum benefício imediato, mas são extremamente danosas a longo prazo. Há quem tenha gostado e as defenda - é direito de cada um - mas elas não condizem com a proposta de um choque de capitalismo. Ou é uma coisa ou outra.

Além disso, Serra é, ao contrário do que diz o preclaro jornalista, intervencionista, sim. Sua gestão no MS teve até controles de preços. Mais intervencionismo que isso, só se tivesse "nacionalizado" (para usar o termo tão em voga nas repúblicas bolivarianas) laboratórios e farmácias. Desconfio também de uma veia autoritária, mas isso é apenas intuição, sem qualquer comprovação empírica.

Por tudo isso, entre os dois eu fico com o Alckmin. Até porque, nesse momento, tanto quanto um bom gerente, que coloque a máquina do governo para funcionar, precisamos de alguém que alivie um pouco esse peso absurdo do Estado sobre os nossos ombros e trabalhe politicamente e com coragem para fazer as reformas possíveis. (Digo possíveis porque não vejo como se possa realizar todas as reformas de que precisamos para colocar o país nos trilhos: previdenciária, trabalhista, tributária, fiscal, etc., sem uma nova constituição. Enquanto essa que temos aí continuar pairando acima das nossas cabeças, garantindo direitos, privilégios e benefícios pétreos, nenhuma reforma estrutural será possível, independentemente das melhores intenções de quem quer que seja, mas somente retalhos circunstanciais).

Pelo menos, o insípido governador (sorvete de chuchu, não é assim que o chamam?) tem a favor de si o fato de ter sido, quiçá, o único governante brasileiro, em todos os tempos (olha o Apedeuta fazendo escola), que teve a coragem, a suprema "petulância" de baixar impostos. E fê-lo sem que a arrecadação fosse prejudicada. Além disso, tenho a impresão que a própria personalidade contida, meio tímida, meio sem jeito, do governador, seria uma garantia contra esses arroubos de messianismo, tão comuns nessas terras latino-americanas.

De acordo com o que eu pude deduzir das suas últimas entrevistas, o "homem da Opus Dei" - a esquerda jamais o perdoará por ser católico praticante - não tem maiores pretensões administrativas do que gastar o dinheiro público com eficiência e parcimônia. Sabe que é preciso privatizar, não apenas empresas, como serviços. Entende que o crescimento do país depende muito mais dos indivíduos, da iniciativa privada, do que de ações populistas e dos investimentos faraônicos do Estado. Estará contente se conseguir colocar para funcionar minimamente a saúde, a segurança pública, a infra-estrutura e a educação. Não se vê como um Salvador da Pátria. Pensa seriamente em desregulamentação, desburocratização, simplificação tributária e tem consciência de que a taxa de juros é conseqüência, não a causa dos nossos problemas econômicos.

Enfim, fico com Alckmin, pensando mais nos defeitos que ele não tem do que propriamente nas virtudes que ele possa ter.

COMENTÁRIO DO BLOG: NÃO VOTAREI EM NENHUM DOS DOIS, PORÉM PENSO, COMO O AUTOR, PREFIRO ALCKMIM A SERRA! ATÉ NESSE MOMENTO PENSO EM ANULAR MEU VOTO, SÓ VOTAREI NO ALCKMIM SE ELE SE CANDITAR, É CLARO, E SE O APEDEUTA, FOR UMA AMEAÇA!

VOLTEI!!!!

OLÁ MEUS QUERIDOS AMIGOS:

DEPOIS DE UMAS MERECIDAS FÉRIAS VOLTEI A LUTA E COM FORÇA TOTAL!
VOU ME INTERAR DAS NOTÍCIAS E LOGO POSTAREI COM MAIS UM COMENTÁRIO DA POLÍTICA SANGRENTA!

BEIJOS E ATÉ MAIS!

BLOODY MARY

sexta-feira, dezembro 23, 2005

FELIZ NATAL, MEUS AMIGOS!

A TODOS VCS MEUS LINDOS E AMADOS AMIGOS:

DESEJO UM FELIZ NATAL E UM 2006 MARAVILHOSO, AMO VCS!

AGRADEÇO A PRESENÇA DE TODOS VCS EM BLOG, ESPECIALMENTE:

- SARAMAR
- SOMBR4
- CARLOS, EU ODEIO O LULA
- PEPE LEGAL
- MODERADO
- GUSTA
- SANTA
- STAR
- MARCOS
- KIKA ALBUQUERQUE
- STELLA
- ANJO VINGADOR
- LATA MÁGICA
- SERJÃO
- INIMIGO PÚBLICO
- DIREITA VOLVER
- NEMERSON
- NINO
- CAMARADA ARCANJO
- MARJORIE
- CARL AMORIM
- KOZEL
- JACARÉ
- VIZINHO DO JEFFERSON
- SEGINDO PELO LADO DIREITO
- NANANDO CONTRA MARÉ VERMELHA
- REVOLTADA
- POR UM BRASIL SEM PT
- N COTRIM
- ABREU
- NAT, MARVADA PINGA
- OS ANÔNIMOS E A TODOS QUE ENRIQUECEM ESTE HUMILDE BLOG, COM BELISSIMAS E PERFEITAS PALAVRAS DE APOIO!

OBRIGADA A TODOS POR ESTE ANO QUE SE FINDA!
OBRIGADA A TODOS VCS QUE AMAM O BRASIL, ASSIM , COMO EU!

BLOODY MARY